quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

CABO PATRÍCIO: ALGOZ DA PEC 300!


O Dep Cap Assumção fez um belo resumo dos acontecimentos de hoje e compartilho com os leitores do Diário Bombeiro Militar:

"No final da tarde, enquanto nós pegávamos as assinaturas dos parlamentares pedindo apoiamento para se votar a PEC 300, recebi um telefonema de um secretário parlamentar que estava próximo à sala da Presidência da Câmara. Esse funcionário disse-me que estava em andamento uma reunião com o Deputado Michel Temer, provocada pelo Deputado Distrital Cabo Patrício. Esse deputado trouxe também o Senador Renan Calheiros (autor da ex-PEC 41, atual PEC446) e o objetivo da reunião era literalmente atrapalhar a votação da PEC 300, pois esses senhores queriam a apensação da PEC 446 (a PEC "ganha mas não leva") à nossa PEC, que está pronta para ser voltada.


Esse secretário que havia me ligado, falou para eu ir correndo pois o Deputado Paes de Lira (Presidente da Frente em defesa dos PM e BM) estava sozinho na reunião.
Rapidamente, parei de pegar assinaturas com os Deputados e peguei no braço do Deputado Arnaldo Faria de Sá (autor da PEC 300) e puxei-o falando que nós tínhamos que ir correndo para a sala da Presidência pois estávamos "tomando um banho", explicando-lhe no caminho a armação que o Cabo Patrício estava fazendo para criar obstáculos à votação da PEC 300.


Chegamos no final da reunião, no justo momento em que o Deputado Michel Temer declarava que, diante das manifestações do Cabo Patrício e Renan Calheiros, ele apensaria a nossa PEC à PEC 446.


Imediatamente, o Deputado Arnaldo Faria de Sá tomou a palavra e disse que a prioridade era a PEC 300, que os milhares de policiais e bombeiros viajaram de todos os estados para verem votada e aprovada a PEC 300, uma PEC que tem um valor nominal de R$ 4.500 reais.


Tomei a palavra e disse que era inadmissível comprar a briga de uma PEC (ex-41) que não alcança pensionistas, que remete para lei federal a criação de um piso e que ninguém sabe qual o valor. Do contrário, disse-lhes que a Nossa PEC 300 foi moldada pelas mãos de 700.000 policiais e bombeiros de todo o Brasil, que foi construída através de audiências públicas e marchas em toda a nação brasileira. Finalizei perguntando quantas audiências públicas haviam sido realizadas com a PEC 446.


Ora, companheiros, esse cidadão que se diz representar os trabalhadores de segurança pública no Brasil, através da ANASPRA, passou todos os dias 2 e 3 articulando contra a PEC 300.
Esse lobo em pele de cordeiro é apaixonado pela PEC 446 porque a sua mente é tão pequena que ele acredita que se ganharmos o mesmo que os bombeiros e policiais de Brasília, isso inviabilizaria novas conquistas salariais para os seus eleitores policiais e bombeiros do Distrito Federal.


E o Cabo Patríco conseguiu. A PEC 300 não foi votada. Esse cidadão deve estar comemorando muito, agora. Mas nós venceremos essa dificuldade. Superaremos esses contratempos.
Só quero lembrar ao Deputado Distrital Cabo Patrício que fui relator na Comissão de Segurança da Lei de Cargos e Salários dos policiais e bombeiros do DF e em nenhum momento coloquei obstáculos contra a sua aprovação. Pelo contrário, conseguimos aprovar em tempo recorde.


E o Deputado Cabo Patrício, qual foi a sua contribuição para aprovar a lei de cargos e salário dos PM/BM do DF? Só o Deputado Major Fábio conseguiu aprovar 5 emendas beneficiando os companheiros da PM/BM do DF.


E esse cidadão, se passando por representante dos policiais e bombeiros, objetivando impedir a equiparação dos nossos salários aos do DF, fica trazendo à tiracolo o Senador Renan Calheiros (e a malfadada PEC 446), tentando desarticular um trabalho que movimentou a nação brasileira de policiais e bombeiros: a nossa PEC 300.


Deputado Distrital Cabo Patrício, os bombeiros e policiais militares do Brasil não agradecem.
assinado: Capitão Assumção"
JUNTOS SOMOS FORTES,
LAURO BOTTO ۞۞

14 comentários:

  1. Vamos aproveitar os 5.000 ai em Brasiliz e dar um pau nesse cabinho de merda tal de Patricia.

    ResponderExcluir
  2. O Michel Temer é um sem palavra,sem caráter,sem moral...!O cb Patrício tem que ser excluído IMEDIATAMENTE,pois NÃO tem moral nem caráter para representar os policiais e bombeiros do BRASIL!Enquanto ao sen.Renan Calheiros sem surpresas;nunca esperei muito dêle mesmo!
    NÃO PODEMOS PERMITIR,EM HIPÓTESE ALGUMA,A APENSAÇÃO DA pec 446 à nossa PEC 300.
    QUEREMOS A PEC 300 JÁ!!E SÓ A PEC 300!!

    ResponderExcluir
  3. Lauro Botto
    Va a porta da camara distrital leva os 10.000 que la esta dando notícia. Va la e olhe na cara dele esse cabo safado faz ele falar com a liderança, quero ve se ele tem coragem. Já que estão ai não percam a viagem.

    ResponderExcluir
  4. É ISSO AI !!!

    O redator da PEC 300, deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), defende a tramitação da primeira proposta. “Acho que a outra (PEC 446) terá mais dificuldade porque, apesar de ter sido aprovada pelo Senado, não passou pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), nem pela Comissão Especial da Câmara.” Ele garante estar engajado na luta pela colocação imediata da pauta em votação no plenário.

    Segundo o parlamentar, apesar de Temer não ter recebido os manifestantes, a manifestação de ontem foi suficiente para que os deputados fossem pressionados pelas reivindicações das categorias. “Deixem com a gente agora”, prometeu Faria de Sá aos integrantes do movimento que deixaram o gabinete de Temer indignados.


    1 - Equiparação com o DF
    A PEC 300 define um piso nacional para bombeiros e policiais militares. O texto prevê uma remuneração inicial de R$ 4,5 mil, assim como a equiparação salarial com os policiais e bombeiros do Distrito Federal — os que mais ganham no país —, condição a ser definida em votação no plenário.
    2 - Piso unificado
    A PEC 446 foi aprovada no Senado em 2 de dezembro de 2009. O texto unifica o piso dos policiais civis e militares, além dos bombeiros. No entanto, não fixa um valor para o salário de quem ingressa nas carreiras. A proposta também estabelece que a União participe no custeio de parte da implantação desse valor, por meio de fundo próprio, formado com receitas tributárias e federais. Como sofreu emendas no Senado, o texto deve ser apreciado novamente pela Câmara dos Deputados.

    PMs e bombeiros ameaçam greve se piso não for votado
    Cerca de três mil policiais e bombeiros militares realizam protesto nesta terça-feira (2) para pressionar o Congresso pela votação da PEC 300, que institui o piso salarial nacional para as categorias. As manifestações começaram pela manhã com passeata em frente ao prédio do Legislativo e prosseguem nesta tarde no salão verde da Câmara, onde representantes das categorias pretendem conversar com líderes de partidos.
    Os policiais e bombeiros ameaçam entrar em greve se o Legislativo não aprovar uma remuneração nacional mínima. Segundo o presidente da Associação Nacional de Praças, o deputado distrital Cabo Patrício (PT), se até o final de abril a PEC do Piso não for aprovada, há a possibilidade de uma paralisação nacional dos policiais e bombeiros militares.
    “Estamos reivindicando a aprovação do piso para que todos os policiais possam ter o mínimo a receber, já que temos disparidades gritantes entre os estados”, considerou. “O limite para a greve é dia 30 de abril. Nós estamos em um ano eleitoral e, se não for aprovado até lá, com certeza, fica um ano perdido para a categoria”, considerou Cabo Patrício.
    O distrital, no entanto, afirmou que acredita que não será preciso a paralisação, pois o governo está sensível à situação dos policiais e bombeiros. “Acredito que o governo Lula, com o tratamento que vem dando à segurança pública, não vai chegar a esse ponto. Nós queremos que a PEC seja aprovada. Mas sabemos que o Congresso só funciona através de pressão”, disse.
    Segundo Cabo Patrício, o governo já discutiu a possibilidade de um piso salarial nacional de R$ 3,2 mil, que é a remuneração de Sergipe. O distrital exemplifica que a disparidade no valor salarial das categorias é tão grande que um bombeiro no Rio de Janeiro recebe R$ 860 mensais, enquanto em Brasília esse valor é de R$ 5,2 mil por mês.
    “Temo 1,2 milhão de profissionais policiais e bombeiros militares ativos e inativos. Todos estão conscientes. Se o governo federal, deputados e senadores fizerem o dever de casa, não há necessidade de uma greve”, avisou Cabo Patrício.

    ResponderExcluir
  5. GREVE NACIONAL, TÁ BOM PRA VOCÊ?

    ResponderExcluir
  6. Guilherme Amorim - 1º Ten BM - CBMERJ4 de fevereiro de 2010 19:54

    Todos que estão insatisfeitos com a falta de consideração do CB Patrício, podem agora entrar em contato com ele, manifestar sua indignação e fazer pressão aravés destes canais:

    Pergunte ao “presidente NACIONAL dos praças” porque é contra a PEC300
    Cabo Patrício – PMDF
    Deputado Distrital e Presidente da ANASPRA

    Endereço: Câmara Legislativa do Distrito Federal
    Gabinete 12
    SAIN-Parque Rural CEP: 70086-900Telefone(s): (61) 3348-8120 a 3348-8128
    FAX: (61) 3348-8123
    E-mail: dep.cabo.patricio@cl.df.gov.br
    Site: http://www.cabopatricio.com.br

    Partido: PT

    ______________________________________________

    *retirado do blog "http://stive.com.br/pec300/"

    ResponderExcluir
  7. A "casa" do cabo Patrício!

    BRASÍLIA - A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) avalia uma medida judicial para pedir o afastamento do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), se ficar comprovado seu envolvimento com a tentativa de suborno do jornalista Edson Sombra, testemunha do suposto esquema de pagamento de propina denunciado pelo ex-secretário de Relações Institucionais do governo do DF Durval Barbosa.

    Com a colaboração de Sombra, a Polícia Federal (PF) flagrou ontem o encontro do jornalista com Antonio Bento para o recebimento de R$ 200 mil em espécie para alterar seu depoimento sobre o caso.

    Com Bento, que trabalha em um jornal de propriedade de Sombra e integra o Conselho Fiscal do Metrô desde 2007, a PF encontrou um bilhete que teria sido escrito pelo governador Arruda.

    Segundo o presidente da OAB, Ophir Cavalcante, o bilhete apreendido agrava a situação do governador. - A Ordem já está estudando uma nova medida judicial para pleitear o afastamento do governador. Dependerá, obviamente, dos elementos probatórios. Já há um link maior que pode atribuir ao governador a condição de estar obstruindo as investigações. Isso pode ser feito - disse o presidente da OAB.

    Ophir Cavalcante pediu o afastamento do governador Arruda do cargo para garantir a celeridade das investigações e não descartou a hipótese de pedir sua prisão temporária, por meio de uma ação civil pública, por tentativa de obstrução. - Esperamos que o governador se afaste voluntariamente ou que a Justiça determine seu afastamento - afirmou.

    A OAB entrou hoje com uma ação civil pública na Justiça Federal de Brasília pedindo a indisponibilidade dos bens de Arruda e dos deputados distritais investigados pela PF por participação no suposto esquema de pagamento de propina.

    - Não se está aqui julgando, até porque não é nosso papel, mas exercendo um papel de controle social de zelar neste momento, em havendo desvio de recursos, para que seja devolvido à sociedade aquilo que dela foi retirado - justificou Cavalcante, fazendo um apelo ao Superior Tribunal de Justiça, onde tramita o inquérito. - Esperamos que o STJ seja rigoroso e tome este caso como paradigma do combate à corrupção - concluiu.

    ResponderExcluir
  8. Valdelei Duarte 1ºSgt. BM5 de fevereiro de 2010 13:55

    Este cabo Patrício não foi o responsável e muito menos organizador da nossa ida para brasília,e a nossa marcha. Muito pelo contrário, ele estava articulando nos bastidores para barrar a nossa PEC 300, e não entendo como muitos não perceberam essa tática, e principalmente os bahianos e catarinenses,fazendo apologia e seguindo este traidor. Peço a todos os Estados que se desfiliem as suas associações da ANASPRA da qual o CB Patrício é o presidente, e quero ver o Rio de Janeiro ser o primeiro Estado se desligar desta associção.

    ResponderExcluir
  9. Piadinha INTELIGENTE que circula pela internet


    Um homem passa pela porta do plenário do Senado e escuta uma gritaria que saía de dentro:
    - “Filho da Puta, Ladrão, Salafrário, Assassino, Traficante, Mentiroso, Pedófilo, Vagabundo, Sem Vergonha, Preguiçoso de Merda, Vendido, Assaltante, jagunço, corrupto...”
    Assustado o homem pergunta ao segurança parado na porta:
    - O que está acontecendo aí dentro? Estão brigando?
    - Não, responde o segurança,



    Estão fazendo a chamada.

    ResponderExcluir
  10. Deu no Blog do Capitão Assumção:

    Parabéns companheiro das 09:45h, pelos motivos de o José Serra, dito pelos integrantes da Polícia Militar do Estado de São Paulo, não gostar de BMs e PMs; o Deputado Michel Temer, presidente da Câmara e postulante à vaga de vice de Dilma Roussef, junto com o Senador Renan Calheiros e o cabo Patrício, não votaram na nossa PEC300, demonstrando também não ser simpático à nosso Proposta e, por conseguinte, nos desprezaram.
    A Senadora Marina Silva por ser uma pessôa de origem humilde,inteligente,guerreira como nós, sensata aos anseios do seu povo e patriota, com certeza nos apoiará nesta luta contra o mal.

    5 de fevereiro de 2010 15:58

    ResponderExcluir
  11. CABO PATRÍCIO SEU TRAIDOR E CANALHA, MERECE É UMA BALA NA CABEÇA!

    ResponderExcluir
  12. Como falei em outra postagem,nós policiais miliatres do DF não somos contra o piso para policiais militares,que seja:4500,5500,7500....,o que na verdade o patrício vem tentando explicar,e alguns energúminos insistem em não entender,é que, além de nos engessar com relaçao a reajustes futuros,pois é mais fácil negar para 14600 PMDF do que estender para 700 mil, qualquer porcentagem dada à PMDF,por conta do efeito cascata que isso geraria, e outra situação é a contestação da emenda junto ao STF "ADIn",por parte dos governadores, e para isso basta um se manifestar.A pec 446 que diferentemente da pec 300estipula um piso salarial para categoria,seria a mais indicada, aí sim ,ficando a cargo de cada polícia militar,através da mobilizaçlão de seus integrantes,com base no se paga no DF,melhorar seus salários e condições de trabalho,mesmo porque não paramos por aqui,o fórun das associções ASOF/ASPRA/ASPOL-PMDF já está discutindo o percentual de reajuste 2010."Não considero esses PMs do DF nossos irmãos de farda" Sim!!anônimo das 09:07,até entre irmãos há desavenças,posturas,anseios,compromissos,valores..diferentes.Não esqueça de que você está querendo equiparação com um salário, que se não é o ideal e o melhor do Brasil,no universo do serviço público do DF,está muito bem ranqueado,acima de muitas outras categorias que outrora nos desdenhavam e achincalhavam "não estudou virou PM", e que foi fruto de embates históricos,greve,manifestações,e assembleias com mais de 5 mil PMsDF,diferentremente de outras categorias aqui do DF,mesmo porque o governo não dá nada de graça,observe a luta de vocês.Isso tudo em uma época,que diga-se,bem recente,em que pese a importância de todas profissões:vigilantes,porteiros de escola,operadores de estação de tratamento de esgoto,motoristas de ônibus,merendeiras,escriturários de banco...ganhavam mais,muito mais que nós.Então,graças as nossas lutas e embasado nas melhorias proporcionada por elas é que as PMs do Brasil reivindicam,e com razão,melhorias de salários,e deixam assim a síndrome do cachorro vira-latas,em que o policial militar só sevia de inseticida social,não podendo vilusmbrar ascensão social:um bom apartamento,um carro zero,escolas particulares para seus filhos,boa diversão, boas roupas...é claro! com o dinheiro oriundo de seu salário,consequência do seu trabalho.O que queremos??e que não matem a galinha do ovos de ouro.Aquele que possue intelecto mediano saberá distinguir o que realmente são conquistas e o que é pirotecnia política,como me parece nesse caso,em que esses deputados,atrás de votos,hajam se tramsformar em paladinos da justiça e dos anseios dos policiais miliatres do Brasil,e o pior, alguns não querem acreditar.Sd de polícia-PMDF

    ResponderExcluir
  13. CERTO OU ERRADO

    O que pode se dizer de tudo isso e que nós não temos tempo, mas teremos de esperar a PEC 300 de audiências e marchas mesmo votada e aprovada ainda vai para o Senado. A PEC 446 segundo as autoridades deve ser acoplada a PEC 300, as lideranças serão ouvidas para ajustes com a promessa de rapidez do presidente da Câmara do qual sem ele nada será feito.
    O que faremos perde tempo ou agilizar a PEC 300/446 e chegar a uma conclusão satisfatória e boa para todos. Na verdade todos sabem que aumento despesa com salário parte do Legislativo. EX: Anos atrás o exdeputado celpmrr Emir Larangeira, fez ser votado e aprovado por unanimidade vantagens e aumento substâncias para nossa classe BM e PM, não deu em nada por causa desta lei e da falta de apoio da classe na votação ao veto do governo.
    Conclamo-os, mas com coerência sem sofisma e enganação vamos ser real com os pés no chão ouvir sem estar com a mente disponível, quer dizer, não só ouvir o que agentes quer, tem muitas pessoas prontas para dizer, depois a coisa muda, de boa intenção o inferno esta cheio. Existe uma coisa que se chama Programa Prure Anual todos tem por força de lei de obedecê-lo em alguns casos pode ser alterado com suplementos de verbas, por exemplo, mas muito bem fundamentado e autorizados pelo poderes Executivo e Legislativo, vamos nos informar para não ficamos desapontados, leiam consulte esta matéria na internet,

    Algo sobre o assunto no blog.
    Lei de Responsabilidade Fiscal DICAS :
    1. O que é a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)?
    2. A Lei de Responsabilidade Fiscal é um código de conduta para os administradores públicos de todo o país, que passa a valer para os três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário), nas três esferas de governo (federal, estadual e municipal).
    3. A Lei de Responsabilidade Fiscal vai mudar a história da administração pública no Brasil. Através dela, todos os governantes passarão a obedecer a normas e limites para administrar as finanças, prestando contas sobre quanto e como gastam os recursos da sociedade.
    2. Qual é o objetivo da LRF?
    Melhorar a administração das contas públicas no Brasil. Com ela, todos os governantes passarão a ter compromisso com orçamento e com metas, que devem ser apresentadas e aprovadas pelo respectivo Poder Legislativo.
    4. Quais são os principais pontos da LRF?
    5. A Lei fixa limites para despesas com pessoal, para dívida pública e ainda determina que sejam criadas metas para controlar receitas e despesas. Além disso, segundo a LRF, nenhum governante pode criar uma nova despesa continuada (por mais de dois anos), sem indicar sua fonte de receita ou sem reduzir outras despesas já existentes. Isso faz com que o governante consiga sempre pagar despesas, sem comprometer o orçamento ou orçamentos futuros.
    Pela LRF ainda, são definidos mecanismos adicionais de controle das finanças públicas em anos de eleição.


    Forter Abraço

    QUEM FAZ ERRADO FAZ DUAS VEZES

    ResponderExcluir
  14. Nova Friburgo, 11/02/2010

    CONVITE:
    PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, FAMILIARES E AMIGOS.

    ASSUNTO: ELABORAÇÃO DA CAMINHADA PEC 300 E ABORDAGENS DE INCLUSÕES NA MATÉRIA.
    LOCAL: R. GAL. OSÓRIO, 366-A - CENTRO - NOVA FRIBURGO - RJ. * FRENTE CASA S. VICENTE DE PAULA
    HORÁRIO: 18:00 HS
    CONTATO: 22-99937183

    Ten Lauto Botto, obrigado pela oportunidade e contamos com á presença de todos!
    JUNTOS SOMOS FORTES!
    SGT COSTA MELO -COORD. PEC 300 (N.F).

    ResponderExcluir