sexta-feira, 11 de junho de 2010

DEPUTADOS DA ALERJ COLOCAM EM RISCO O AUMENTO DE 10% DOS PMs E BMs - DO BLOG "MILITAR LEGAL"

"A Votação dos projetos de lei 3.128 e 3.129, que reajusta em 10% os salários de policiais civis e militares, bombeiros e inspetores de administração penitenciária, receberam 19 emendas na tarde desta quinta-feira(10) no plenário da Assembleia Legislativa (Alerj) e foram retirados da pauta, devendo retornar na próxima semana.

O Governador Cabral teve três anos e meio para lutar pelos royalties do RJ e fracassou.Agora joga a culpa de seu fracasso sobre os servidores,suspendendo seus reajustes com o argumento da perda da receita dos royalties,mantendo apenas o reajuste dos servidores da área de Segurança Pública.

Cabral está doido para também ter um argumento para retirar o reajuste dos policiais e bombeiros e parece que os deputados estaduais estão afoitos em presentear o governador.O reajuste da Segurança tem que ser transformado em lei até o dia 30 deste mês ou corre o risco de não ser concedido neste ano.

Os deputados estaduais tiveram três anos e meio para conseguir algo mais em matéria de reajuste salarial para nós e não conseguiram, agora não é o momento de apresentar Emendas,as quais são só para jogar para a galera,pois sabemos que nenhuma delas será aprovada,só servindo para atrasar a votação do nosso reajuste, ou será que isso faz parte de uma estratégia,conluio de Cabral e os Deputados Estaduais, para o Governador poder dizer depois: Eu quis dar o reajuste de 10%,mas os deputados não deixaram,apresentando 19 emendas?"
JUNTOS SOMOS FORTES,
LAURO BOTTO ۞۞

11 comentários:

  1. 1º SGT.BM Valdelei11 de junho de 2010 09:06

    "Temos que elegermos os nossos fiéis representantes" Ten. Lauro Botto, estou ficando cansado de tanta enrolação e traição.

    [red][b][i]


    Votação de aumento da Segurança é adiada

    Os dois projetos de lei que reajustam em 10% os salários dos servidores estaduais da Segurança Pública (policiais civis e militares, bombeiros e inspetores de administração penitenciária) receberam 19 emendas na tarde desta quinta-feira e foram retirados da pauta de votações do plenário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). As matérias devem retornar na próxima semana.

    Entre as emendas propostas pelos deputados, estão a inclusão dos servidores da Secretaria de Saúde no reajuste, percentuais maiores para o aumento e antecipação da vigência dos novos valores, o que, pelo texto original do Poder Executivo, acontecerá no salário referente a julho, pago em agosto.

    Enquanto isso em Brasília:

    Hj saiu no jornal que os GREVISTAS da PC/DF pararam a esplanada dos ministérios eles querem um reajuste de 33%......agente de polícia ganha R$ 7.000,00 inicial e um delegado R$11.900,00 e digo a vocêss que eles vão conseguir.......Não que não merecem.....
    Pois todos merecem um salário digno, e se compararem com a maior parte do Brasil,todos já estão ganhando no mínimo o dobro de nós....

    JUNTOS SOMOS FORTES.

    ResponderExcluir
  2. G R E V E G E R A L.... D I A 17/06

    ResponderExcluir
  3. Em 1989, estava fazendo um curso em Paranaguá, conheci uma turma gauchos politizados que faziam parte de um movimento chamado "Republica dos Pampas". A intenção de SEPARATISTA;Torna-se independente do resto do PAÍS. Graças a omissão de Pedro simon e outros deputados gauchos não conseguiram. Pois é, diante da atual situação que os RJ,ES(ESTADOS PRODUTORES)estão passando,acho que o Rio grande deveria virar um País...
    Que tal uma sugestão: ' REPUBLICA Dos CARIOCAS ou dos CAPIXABAS'- SEPARATISMO JÁ!!!

    ResponderExcluir
  4. Estou casado de falar vou dizer novamente os grandes culpados da nossa situação são os parlamentares da ALERJ, eles sim, até mesmo os que se dizem simpáticos à classe, são uns embusteiros, afirmo que o maior deles é o Wagnermontedebobeira.
    Garoto zoado da zona sul nos anos 80.
    JSF

    ResponderExcluir
  5. É um grande CIRCO!
    E adivinha quem são os PALHAÇOS?

    ResponderExcluir
  6. Mônica Armada: Saúde precária

    Presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Rio de Janeiro

    Rio - A militarização, a terceirização e as diferentes formas de vínculo empregatício e de salários nas UPAs ocasionam problemas aos enfermeiros e aos usuários. O trabalho e o atendimento ficam precários e aumentam a discriminação, a exclusão e a injustiça social. Isso sem falar nas doenças ocupacionais e deficiências que desvirtuam os princípios fundamentais do SUS e podem causar erros de diagnóstico e até a morte de pacientes.

    Uma das alternativas criadas pelo governo federal à crise da saúde foram as UPAs, que servem de palanque eleitoral para governadores. De fato, elas desafogaram as emergências, mas isso não pode acontecer, no entanto, às custas do sofrimento de trabalhadores e pacientes.

    Os enfermeiros dos bombeiros que integram as equipes dessas unidades são exemplos do descaso com os profissionais e a população. Nas UPAs, eles passaram a enfrentar, compulsoriamente, jornadas de 24 horas por 72 horas sem acréscimo salarial. Em algumas unidades, enfermeiros fazem 24 horas por 48 horas, quando o restante da categoria cumpre jornada de 24 horas semanais.

    O regime militar nas UPAs pune os comandados que desobedecem as ordens. Assim, os enfermeiros bombeiros cumprem jornada de trabalho estafante, justamente quando a enfermagem brasileira luta pela aprovação do projeto de lei das 30 horas semanais.

    As filas, os baixos salários e o excesso de trabalho comprovam que a militarização e a terceirização não solucionaram a crise na saúde. Tanto que o Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu a terceirização na rede municipal de saúde do Rio, o que já é um bom começo.

    O Sindicato dos Enfermeiros fez representação ao Ministério Público do Trabalho, denunciando a terceirização e a jornada excessiva de trabalho nas UPAs. Que se faça justiça.

    ResponderExcluir
  7. Éi vc, alexandre nós não somos mais palhaços, agora não, etamos juntos e na hora certa eles sentiram, o peso da nossa classe com Lauro Botto,
    Libanio,Cirneiro e Paúl todos eleitos.
    Juntos Somos Forte

    ResponderExcluir
  8. Tem circulado na internet, sobretudo no twitter, a realização de uma mobilização no 9o BPM no dia 18 JUN 2010, sexta-feira. A citada mobilização já teria recebido a adesão de Policiais Militares de outras Unidades Operacionais da Polícia Militar.
    Em consequência dessa notícia tenho recebido indagações sobre a realidade ou não da mobilização, o que não posso confirmar ou negar, por desconhecer os organizadores.
    O que posso confirmar é que recebi informação que esposas e filhos de Policiais Militares estão organizando uma mobilização para ser realizada no 23o BPM, no dia 18 JUN 2010, a partir das 07:00 horas, horário de saída do policiamento, como forma de apoio aos Policiais Militares do 9o BPM.
    A ideia das esposas dos Policiais Militares é contagiar os demais familiares de Policiais e Bombeiros Militares para que sejam realizados atos em várias unidades da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros.
    A entrada efetiva dos familiares de Policiais e Bombeiros Militares na luta será decisiva, pois poderemos abrir várias frentes de luta em todo Rio de Janeiro.
    As pensionistas e os inativos também precisam entrar na mobilização.
    Assim sendo, solicito que essa mobilização seja divulgada nos outros blosg e sites da blogosfera da segurança pública.

    ResponderExcluir
  9. Até os Garis conseguem se organizarem e fizeram GREVE. onde estão aqueles que dizem ser o nosso porta-voz. GREVE GERAL!
    MOTIVOS:
    - Inconstituicionalidade da subordinação da SEDEC a SESaúde
    - Escravização de serviços fora de nossa área de atuação
    - quebra da hierarquia e disciplina
    - o pior salário do país
    Por menos que isso a COMLURB entrou em greve.
    Vamos buscar adinate, sem andar para o lado!

    ResponderExcluir
  10. Somos chacota do Estado do RJ....hehehe....

    ResponderExcluir
  11. ALGUM MILITAR TEM NOTICIAS DAS BOLSAS COPA E OLIMPICA?

    ResponderExcluir